24/02/2013

Salve, Gil!

Josenaldo e Docineide trocavam mensagens apaixonadas pelos celulares. Embora fossem vizinhos morando em casas geminadas e não germinadas como dizem por ai, viviam torpedeando um ao outro, o tempo todo. Como a vizinhança dizia: é certo que eles iriam se casar.
Josenaldo  - Vc não me ai loviu + do q eu. + eu ti ai loviu D+ beibi
Docineide  - Mor. Eu ti ai loviu sim! + q vc pensa. Bem +
Josenaldo  - Então dá aquilo que vc disse que ia dá pra mim.
Docineide  - Putz!!!
Josenaldo  - Q foi?
Docineide  - Dei pro Lindomar ontem. Achei q vc não ia querer +
Josenaldo  - Deu?
Docineide  - Dei
Enquanto Josenaldo saia de casa espumando de ódio para um encontro abrupto com Docineide, decido a desferir-lhe um tiro nas ventas, ela respondia a última mensagem ao seu amor. 
__ Mor… o Lindomar me pediu e eu dei pra ele o DVD do Gustavo Lima e vc que eu ia dá pra vc. Achei que vc n˜ 
Docineide não teve tempo de completar a frase. A bala certeira do calibre 38 de Josenaldo, transpassou a cabeça da moça apagando-lhe a memória para todo o sempre. Josenaldo, mesmo se entregando à polícia, foi julgado como um criminoso de altíssima periculosidade, duas semanas depois no Fórum da Barra Funda e tecnicamente pegou 33 anos e 9 meses de prisão em regime mais do que fechado, sem direito a redução de pena por bom comportamento, sem indultos de natal, sem porra nenhuma. Saiu do Fórum algemado com a TV mostrando ao vivo para todo o país a justiça-sendo-feita, seguindo de camburão escoltado por diversas viaturas da segurança pública, direto para a penitenciária de segurança máxima em Itirapina.
Josenaldo é pobre e nunca conheceu o pai. Diferente de Gil Rugai que pertence a outra casta social.

Postar um comentário