10/06/2013

Pelo celular a Kombi guerreira e transgressora.

O nosso amigo da Kombi trafegava tranquilamente pela Marginal Tietê, na altura da Ponte das Bandeiras, sentido Ayrton Sena. Oito da noite, mais ou menos, trânsito relativamente calmo pelo horário de uma segunda feira brava.

O que chamou minha atenção e de certo dos outros motoristas foi o excesso de carga que ele transportada sobre o seu carro. Pareciam caixas de madeira, dessas que carregam frutas.
Fiz uma conta rápida e não muito precisa, evidente - comprimento x largura x altura, 6 x 5 x 7, cheguei em pelo menos, duzentas e dez caixas.
Calculei ainda o peso de cada uma delas, imaginei um quilo mais ou menos. Portanto, cheguei nos 210 quilos. Dando um desconto: 200 quilos. (duzentos quilos) A altura da carga era quase uma vez e meia a altura do próprio carro.
Detalhe: as caixas estavam amarradas na Kombi de um jeito que nem sei como. Até eu ultrapassá-la elas se mantinham firmes sobre a Kombosa. Firmes que nem geléia em prato raso, mas estavam lá. Dançando pra lá e pra cá como lindas e gorduchas havaianas.
Se repararem na foto perceberão que as lanternas do veículo estavam apagadas, a luz que se vê vem dos faróis do carro que vinha atrás dela.
O legal disso tudo é que, apesar dos vários radares de velocidade e rodízio, mega ultra eficientes da Marginal, ela, a ilustre Kombi, trafegava linda, leve e solta, sem que nenhuma fiscalização interrompesse seu destino.
Espero que ela o tenha alcançado com sucesso, pois, pelo que vi, tinha tudo para dar merda.
Do Blog
Já que nem tudo que é ilegal é preterido, anotei a chapa para uma fezinha  no bicho. Deixo a dica para os transgressores: KIB 1094. Milhar e centena do primeiro ao quinto. Um bom palpite.
Em tempo: eu de celular na mão enquanto dirigia, é bem capaz de eu receber uma multa pra largar mão de ser besta e encher o saco de quem está trabalhando.
Postar um comentário