13/06/2013

Gazelas

Abro mão por um instante do "politicamente correto". Espero que quem esteja lendo este desafogo, me perdoe. Realmente é um "pequeno desabafo" Afinal ninguém é de ferro e muito menos tenho eu, "sangue de barata" nas veias. Fui criado com muito molho de tomate.

Aproveito também para não ser "direto" neste texto e me apropriando da tática da "indireta". Artifício comumente utilizado pelos "não dotados de coragem", vide redes sociais e folhetins.

Minhas referências aos que ganham a vida sem nada produzirem. 
Minhas referências aos que criticam tudo baseados, única e exclusivamente, no rancor notadamente oriundo das suas próprias frustrações.
Minhas referências aos sórdidos.
Minhas referências aos que jamais olham nos seus olhos quando sorriem para você.
Minhas referências a quem prolifera com astúcia as "não verdades", ou elas distorcem com objetivos obviamente mesquinhos.
Minhas referências aos dilacerados de lucidez.
Minhas referências aos que não sabem digerir o não. Aos acomodados, pequenos seres que choram pelo tempo que se foi.
Aos que sabem da sua mãe, mas que do pai, desconfiam de pelo menos uma meia dúzia.

Por esses a menção de um singelo animal, a Gazela.

"Gazela é o nome vulgar dado aos mamíferos bovídeos do gênero Gazella. O grupo reúne pequenos antílopes da África e da Ásia, de pernas longas e chifres espiralados, presentes em ambos os sexos. As gazelas vivem em manadas e têm um temperamento nervoso e assustadiço. Os filhotes são muito vulneráveis contra os predadores. Quando pequenas, as gazelas não tem cheiro. Com essa vantagem, os pais escondem sua cria no pasto mais alto, dificultando a ação dos predadores. São animais extremamente velozes. Tem boa visão e uma excelente audição"



Gazelinhas perdidinhas.
Postar um comentário