13/05/2013

Churrasco

Domingo passado, dia das mães, estive num churrasco muito legal. Algumas mães estavam presentes, inclusive a minha. Mães com filhos, filhas, maridos, pais e sogras. 
A festa estava bacana, umas vinte pessoas, não mais que isso. Ao fundo ouvia-se música boa e gente falando pelos cântaros. Carne à vontade e de todo tipo. Saladas também. 

Domingo de sol em um outono paulistano - quente na luz do sol e frio na sombra.
Uma das mães estava grávida, bem grávida, aliás, do tipo barrigão e rosto inchado, bem característico nas pré mães. 

No zum zum zum ouvi dizer que o parto estava marcado para o dia quinze. O "estar marcado" me chamou a atenção, mas tudo bem, faz tempo que é assim, marca-se o parto e pronto. Parece que toda mulher opta pela cesariana. Dizem que é mais prático. 

De repetente ouvi um "estourou a bolsa". Foi uma correria nos primeiros segundos, uma mistura de tensão, curiosidade seguida de alegria. Pessoas se abraçavam e comemoravam: veio antes, eu sabia, eu sabia! 

O barulhinho das latinhas de cerveja pipocaram: tchiiii tchiii daqui e dali. Mais carne na churrasqueira, deu pra sentir pelo cheiro da picanha. 
A mãe, o marido e o filho pré adolescente saíram direto para a maternidade. 

Soube mais tarde que um menino nasceu. Chegou bem, ainda bem. Mãe e filho com saúde. Ficamos felizes. Há uma mágica no nascer. 

Bem no dia das mães, que legal.
Postar um comentário