10/04/2013

Milênio Imbecil

Penso que estamos vivendo mais um início de milênio imbecil. Este é o terceiro da era cristã e comparado aos dois anteriores, a espécie predominante pouco ou nada evoluiu. Pelo contrário, o número maior de bípedes inteligentes, aliás, "inteligentes" considerados por nós mesmos, só fez a estupidez crescer e na mesma proporção do crescimento numérico dos seres.

Se pensarmos em tecnologia, é óbvio, não há o que comparar. Acumulou-se muito conhecimento nesses dois mil e poucos anos. Do prego na cruz ao tiro na cabeça de  crianças, a raça deu um salto mais que significativo. Nesse aspecto são dois mundos muito diferentes.

Mas no que se refere ao crescimento da harmonia, pouco ou nada se percebe de diferente dos tempos da cruz.  
Na padaria a TV estava ligada, entrei e logo notei que as poucas pessoas estavam atentas ao que a repórter dizia, atenção mais que a normal, lembrando aquela dada aos jogos de finais de Copa do Mundo. Um jovem de 19 anos fora assassinado na noite anterior, ele tomou um tiro na cabeça mesmo não reagindo ao assalto. As câmeras de segurança do prédio vizinho registraram o fato. 

Até aí nada de novo, coisa mais que comum hoje em dia. Segui até o balcão e pedi os pãezinhos. Me virei e olhei para a tela quando ouvi a repórter dizendo o nome da rua onde o crime acontecera: Fernandes Vieira, bem próximo de casa. Alguém na padaria disse: Olha o Luis! O entrevistado, um vizinho conhecido, relatava o tiro que ouviu que o fez sair imediatamente à rua. Pessoas conhecidas apareceram na TV em rede nacional. 
A brutalidade mais uma vez bateu à porta, essa foi a sensação. Dando a noção exata do que é viver em 2013, tempos de ameaças de bombas nucleares, aedis aegypti, traficantes e muita corrupção. Não há diferença da violência de hoje com a de ontem, a estupidez é estupidez agora e sempre. 
A cada día me certifico que este planeta é um depósito de excrementos de vidas abolidas, experiências mal sucedidas de outras esferas que aqui foram jogadas como lixo. Somos um monte de qualquer coisa que não deu certo em algum lugar. Somos arrogantes, convencidos e crentes em estado de absoluta imbecilidade permanente. Nada mais que isso.

Me pergunto se haverá decomposição dessa excrescência no início do próximo milênio. Até por ser mais um do gênero citado, carrego a esperança.
Postar um comentário