02/04/2013

EIS O MISTÉRIO.
Laerte - Piratas do Tietê
A fé é uma coisa misteriosa e sem explicação. Ela é porque é e pronto. Quem a tem de verdade, a tem e amém.

Dizem que a fé move montanhas e se move montanhas significa que é muito forte. Montanhas para quem não sabe, é um amontoado de terra e rochas de espécies diversas. Compactadas, fazem elevados que se destacam nos terrenos planos. 

Claro que o mover a que se referiu o autor da frase é no sentido figurado. Quem a criou, de certo, quis dizer que a fé é muito poderosa, inquestionável. Talvez seja a maior força da natureza. É uma frase de efeito com características estimulantes.

O conceito de fé foi sendo lapidado na medida em que os primatas saíram das cavernas e somente  com o tempo é que ela foi de fato diagnosticada tal qual como a conhecemos. Mais ou menos assim:o que não se explica, mas se acredita ser verdadeiro, dá-se o nome de fé.

Temendo a lua, o sol, as estrelas, os raios e trovoadas, os primeiros homens e mulheres, impelidos pelo instinto da curiosidade, deixaram de se proteger  nessas covas labirínticas, organizando-se em sociedades e daí a coisa se estabeleceu. 

A fé é um sentimento, um estado de espírito, um lar que protege os aflitos ou aos propensos às aflições. Uma espécie de remédio invisível.

Pode-se se dizer que um sujeito dado ao jogo, tenha fé. Ele acreditada piamente que amanhã ou depois vai ganhar uma bolada que o levará a tranquilidade eterna. E da mesma forma pode-se dizer que um outro tenha a mesma fé, pois acreditada que assim encontrará o caminho dos céus. 

Fé não se discuti, é uma coisa bem pessoal. E também não vale dizer que qualquer um chega a ela do absolutamente nada, por somente ter acordado um dia e cantar pelo mundo que ele acredita nisso ou naquilo e fim de papo. Assim não vale. não é uma fé verdadeira. 

Vale quem a tem, quem é dado às crenças não explicadas pela lógica, seja lá quais forem, não importa. Os homens de fé não deveriam propagar o que pensam ser a verdade, ela é relativa. Assim estaríamos livres das igrejas e dos políticos nefastos.
Postar um comentário