21/08/2012

Ordem natural

Imagem de uma galáxia solitária em movimento que está a nove milhões de anos luz do nosso sistema solar. Nove milhões de anos luz
Seu nome de batismo na terra é DDO 190 e quem a fotografou foi o telescópio Hubble operado pela NASA.
A luz trafega a uma velocidade de 300 mil quilômetros por segundo. Para se ter uma ideia de sua velocidade - se dispararmos um raio de luz potente aqui da terra, uma explosão atômica por exemplo, um segundo e meio depois o clarão da explosão será visto da lua que está a cerca de 400 mil quilômetros de distância de nós.
A luz do sol chega até nós em 8 segundos, pela sua distância da terra. Portanto, o que vemos no céu é sempre o passado. As estrelas, a lua, o sol não passam de visões situações que já existiram. Nada, absolutamente nada está ao vivo como imaginamos. A não ser nuvens negras que anunciam chuvas fortes.
Voltando para o espetacular número de 9 milhões de anos luz vimos tratar-se de uma distância inimaginável. Por exemplo, se uma nave espacial pudesse viajar na velocidade de 300 mil quilômetros por segundo - 108 trilhões de quilômetros por hora, ela alcançaria a DDO 190 em nove milhões de anos.
Outro dado interessante - o que o Hubble registrou na foto, trata-se de um passado distante, ela mostra um instante no universo ocorrido quando aqui nem existiam dinossauros. Tudo é magnífico quando lembramos do infinito.


Diante dessa constatação podemos dizer que o tempo da forma como o conhecemos deveria ser reavaliado, baseado na rotação do planeta em torno do sol, também chamado de astro rei, que converge poucos planetas ao seu redor, numa constelação infinitamente pequena, em uma galáxia modesta situada entre outras tantas bilhões e bilhões na via láctea.
Como também precisaríamos reavaliar nossas preocupações. Somos demais microscópicos nesse universo sem fim. Pequenos, porém, com alguma funcionalidade, quero acreditar que não estaríamos aqui à toa, e que juntos poderíamos ser melhor percebidos.
Portanto, caro sujeito que nos aporrinha a vida, sujeito que ostenta o que não é seu de verdade, que mata, que rouba, que interfere na ordem natural das coisas, que exige maior velocidade, que quer ser um marechal em tempos de guerra - vai se catar. Fique sabendo que há uma relatividade no seu poder. Do alto somos todos iguais, tal e qual uma partícula sub atômica de existência fundamental, porém, invisível. Integre-se ou desintengre-se e faz de conta que nunca existiu.


Postar um comentário