03/07/2012

Ornitorrincos

Fui ao wikipédia buscar informações sobre o exótico, ornitorrinco, pois lembrei-me de sua existência quando lia notícias sobre campanha eleitoral. Não sei o por quê, mas a associação entre os candidatos e esta espécie três-em-um, foi imediata.
Muito provavelmente estarei cometendo uma tremenda injustiça com esse animal de característica tão estranha, o ORNITORRINCO, embora ele seja muito conhecido na Tasmânia e na Austrália aqui no Brasil pouco se fala dele, fala-se mais de políticos.
Acho que eles se travestiram em espécie humana aqui em nossas terras e circulam livremente entre nós. Nos palanques, na TV, no rádio e em todo lugar.
Indefinível ele tem o corpo de mamífero, mas bota ovos. Mama pelos poros. É semiaquático e possui um enorme bico como de um pato à frente da cara, que lhe toma boa parte da cabeça. Seria um um castor, um peixe e um pato ao mesmo tempo e ainda com garras de um leão feroz? De hábitos noturnos, saem à caça na calada da noite.
Me certifiquei da semelhança quando o texto disse "…cerca de 82% do seus genes são compartilhados com outras espécies já sequenciadas, como o cachorro, a ratazana e o homem"
Incrível a semelhança.



Quem se interessar, recomendo o acesso ao site.


"O ornitorrinco (nome científico: Ornithorhynchus anatinus, do grego: ornitho, ave + rhynchus, bico; e do latim: anati, pato + inus, semelhante a: "com bico de ave, semelhante a pato") é um mamífero semiaquático natural da Austrália e Tasmânia. É o único representante vivo da família Ornithorhynchidae, e a única (a) espécie do gênero Ornithorhynchus (b). Juntamente com asequidnas, formam o grupo dos monotremados, os únicos mamíferos ovíparos existentes. A espécie é monotípica.
O ornitorrinco possui hábito crepuscular e/ou noturno. Carnívoro, alimenta-se de insetosvermes e crustáceos de água doce. Possui diversas adaptações para a vida em rios e lagoas, entre elas as membranas interdigitais, mais proeminentes nas patas dianteiras. É um animal ovíparo, cuja fêmea põe cerca de dois ovos, que incuba por aproximadamente dez dias num ninho especialmente construído. Os monotremados recém-eclodidos apresentam um dente similar ao das aves (um carúnculo), utilizado na abertura da casca; os adultos não possuem dentes. A fêmea não possui mamas, e o leite é diretamente lambido dos poros e sulcos abdominais. E os machos possuem esporões venenosos nas patas, que são utilizados principalmente para defesa territorial e contra predadores. Possui uma cauda similar a de um castor.
As características atípicas do ornitorrinco fizeram com que o primeiro espécime empalhado levado para a Inglaterra fosse classificado pela comunidade científica como um embuste. Hoje, ele é um ícone nacional da Austrália, aparecendo como mascote em competições e eventos e em uma das faces da moeda de vinte centavos do dólar australiano. É uma espécie pouco ameaçada de extinção. Recentes pesquisas estão sequenciando o genoma do ornitorrinco e pesquisadores já descobriram vários genes que são compartilhados tanto com répteis como com as aves. Mas cerca de 82% do seus genes são compartilhados com outras espécies de mamíferos já sequenciadas, como o cachorro, a ratazana e o homem"
Bom dia!
Postar um comentário