14/12/2012

O fim do mundo


Anunciaram o final do mundo para a próxima sexta feira, dia 21. O calendário Maia previu o fim de tudo sem o menor constrangimento. 
Pensei, a que horas seria isso, então? 
O dia 21 começa no Japão quando aqui ainda é meio dia do dia do dia anterior. Zero hora do dia 21 pra nós seria meio dia do dia 22 pra eles. Lembram do Tsunami? A rigor noticiamos um dia antes o terrível episódio. Sempre achei curiosa essa nossa condição do ocidentais. Portanto, pelo nosso horário, sem considerar o acréscimo do verão, o cataclisma será  entre meia noite e meio dia e para eles exatamente ao contrário. Nos estados ao sul do Brasil, pelo horário de Brasília, com uma hora a mais que os do norte, a maior tragédia da humanidade se dará entre uma da manhã e uma da tarde.
Considerando nosso tradicional: espera que já to indo, a bagunça aqui deverá ter início quando a luz do sol começar a despontar pelo horizonte - logo pela manhã e provavelmente com a TV mostrando que o outro lado já era. Muito embora, à noite sentiremos o chão tremendo um pouco. Acho que para alguns isso será muito bom.
Ou será que, surpreendentemente, sairemos na frente? Já na quinta, dia 20, logo depois do almoço, gigantescas placas tectônicas se desprenderão do fundo do Atlântico mandando pelos ares as cidades litorâneas e depois os interiores do País, a floresta amazônica, Brasília, Manaus, a exótica Parintíns e tudo que conhecemos, para se apoiar com estrondos jamais ouvidos nos picos mais altos das cordilheiras dos Andes. Remexendo as águas do Pacífico, provocando o maior tsunami da história, com ondas de sete mil metros de altura arrasando todo o oriente do planeta alcançando novamente o ocidente, alagando tudo.
Erupções vulcânicas que conhecemos serão fichinhas perto das que ocorrerão nesse dia. De nada valerá o título de campeão brasileiro deste ano, conquistado pelo Fluminense e nem os tantos outros conquistados pelos outros terão importância. O bando de loucos que invadiu o Japão dias antes, estarão de volta nas terra-brasilis, comemorando o título do mundial pela Fifa.
Todo o armamento atômico explodirá concomitantemente ao evento natural magnânimo e nem terá tanto destaque assim.
Israelenses, palestinos, árabes e judeus se confundirão, não saberão quem é quem na confusão. As jóias da coroa britânica e a fome pela África se desintegrarão num mar de água e fogo. A mesma coisa por aqui: petistas, psdbistas e os outros istas, desesperados nas mansões, derretendo-se, fundindo-se a elas transformando-se em magmas de dez mil graus centígrados escorrendo por todo canto.
Imaginei nisso tudo uma situação hilária: Lula correndo pelas largas avenidas de Brasília, olhando pra trás vendo a bola de fogo cada vez mais próxima, gritando - Eu não sabia, eu não sabia! 
Enfim, acho que devemos nos preparar e torcer para amanhecermos, todos, no dia 23, ante véspera do Natal.
Postar um comentário