06/10/2012

Quadrilha - Parte 1

Segue pesquisa de intenção de voto feita nesta sexta e sábado, 05 e 06/10 em São Paulo. O primeiro, o segundo e o terceiro candidato estão em situação de empate técnico. O quarto ficou um pouco atrás, mas nem tanto.
Curiosamente os índices de rejeições entre os candidatos se configuram na mesma ordem - Serra em primeiro, Russomano em segundo e Haddad em terceiro. Parece que nada faz sentido. O eleitor de modo geral não tem preferência ideológica fundamentada, me parece mais questão de resgate de sua história na cidade ou por simpatia ou não por este ou aquele candidato.
Se prestarmos um pouquinho mais de atenção perceberemos que na verdade não há tantas diferenças nos discursos deste ou daquele candidato. Todos vêm de partidos políticos e coligações, todos se comprometeram com tantas coisas e mostraram-se profundos conhecedores dos problemas da cidade. Todos apertaram as mãos e beijaram pessoas desconhecidas nas ruas, criancinhas, vovós, vovôs e até gostosas. E tantas coisas ruins disseram um ao outro que se, somente a metade das acusações mútuas for verdade, puta que pariu a mãe deles. É um balaio de gato só. 
O palmeirense que fala do corinthiano, que fala do são paulino, que fala do santista, que fala da lusa, que fala do ponte, que fala do vasco e por aí vai.
A Maria que fala da Luiza, que fala da Bete, que fala da Sonia, que fala da Rosa que fala da Neide que fala das mães de todas elas.



Ao 07 de outubro de 2012 - dia da cidadania.
É duro somente ter vagabundos como escolha de voto. Votar assim é como querer pagar as contas de safados e ainda sair de banca com cara de quem tem consciência do dever cumprido. É uma mentira deslavada.

Postar um comentário