08/10/2012

Moçambique

E se foi o primeiro turno. Em São Paulo, ainda minha cidade, definiu-se os dois candidatos que irão para o dia 28 de outubro, o derradeiro turno - Serra e Haddad já estão em posição de guerra. Um do Partidão e o outro do Neo Partidão. 
O Russomano ficou a ver navios. Deu a coletiva para a imprensa no final do dia com cara de pastel de feira. Disse com retórica cansada que estava muito feliz e agradecido pelos votos recebidos - mais de um milhão. (isso é perigoso). O Chalita com cara de bonzinho, também agradeceu.
Entre ontem e o próximo dia 28 veremos quais serão as novas coligações. Os derrotados carregam eleitores e os preferidos detém a maioria. Lembrando que nós somos a moeda de troca, nós somos o lastro. Neste momento valemos ouro.

Dor de cabeça a nossa, não é? Que dúvida! Qual a melhor escolha? Leio e ouço opiniões argumentando ou ironizando sobre esse ou aquele candidato. Jornalistas, políticos, intelectuais e pessoas comuns. Gostaria de ter a fé que eles têm. Fé pela fé e sem interesses e sem rancores. Mas não tenho. Quem dera me fosse dada a crença, mas não creio.
Em Moçambique a cura para a enxaqueca é na base da fé, na base da crença.


Assisti esse vídeo e resolvi postar aqui no meu blog. Representativo pra mim. Me sinto o enfermo do filme, um idiota fedólatra submetido aos prazeres alucinados de quem acha que sabe de tudo.

A tradução seria: 
__ vota em mim… vota em mim… vota em mim...

Tive que anular meu voto e me senti muito mal.

Postar um comentário