28/12/2011

Coordenadas

Se tem um assunto que me atrai, confesso que é sobre extras terrestres. A possibilidade de contatos imediatos com vida de outros planetas, além de curioso, me excita.
Desde criança o tema nunca ficou um dia sequer longe dos meus pensamentos.

Na TV assistia séries do gênero desde pequeno, claro, tudo em preto e branco e com direito ao Bom Bril preso à antena para dar melhor sintonia e ela ficava bem em cima da Invictus de 21 polegadas que tinha dois botões grandes à frente - um de liga e desliga com ajuste de volume e o outro do seletor, grande e barulhento quando se mudava de canal. 
Em cima da TV também ficava o regulador de voltagem, naquela época a tensão variava muito e precisávamos ficar atentos no ponteiro do voltímetro para este não passar de uma marca vermelha. Para mim, aquilo tudo era um painel magnífico de uma nave espacial.
Estou falando de 1960, 61, 62 por ai - estava com seis, sete, oito anos de idade. Sempre com uma espada de plástico amarela presa à cintura e um revólver de madeira feito por mim mesmo, que dispunha de um raio laser ultra mortal, para caso de algum Inca Venusiano aparecer de repente. Me sentia mais seguro assim. Derreteria o cérebro do filho da puta, protegendo a mim e o meu irmão menor.


Desse tempo para cá, o assunto me levou à leitura de centenas e centenas de livros. Eram os Deuses Astronautas de Eric von Daniken, foi um dos primeiros. Acho quem em 1970. O li várias vezes sempre como se fosse a primeira, fascinado. A argumentação de que seres inteligentes no passado, influenciaram civilizações, me provocavam euforia. As provas apresentadas no livro, em minha cabeça eram inquestionáveis. 
Assim como O Triângulo das Bermudas local que fica logo abaixo da América do Norte e próximo à Central, onde aviões, pequenas e grandes embarcações, simplesmente, desapareceram sem muitas explicações. O relato do Voo 19 foi um deles. Nada me deixava mais curioso.

Li vários artigos com depoimentos de pessoas que garatiam  a abdução ou de testemunhos vivos de contatos com naves de formas e cores das mais diversas. Luzes que se alternavam entre, amarelas, vermelhas e azuis.


Registros de pilotos de aviões comerciais ou mesmo militares, sonoros e escritos, falando sobre avistamentos de objetos não identificados. 

"…luz forte à esquerda se aproxima… Torre,algum sinal no radar de terra? 
…segue aeronave a este bordo… não tem forma definida e muda de cor a todo instante… 
…desapareceu sentido norte… 
…voo 3429 gostaria de relatar um avistamento? 
silêncio na comunicação… 
Não… nada a relatar… seguimos para o pouso… "

Filmes então, nossa, nem sei quantos. E com direito a várias reprises. Contatos imediatos do Terceiro Grau de Steven Spelberg por exemplo, assisti umas cinquenta vezes - sem exagero. ET, Sinais e outros tantos que daria uma relação gigante. Clássicos para os nerds como eu.

Na adolecência imaginava que entre nós vivessem extras terrestres. Os dividia em duas classes - os do bem e os do mal. Os bons, claro, vieram e ficaram em missão de auxílio, para nos ensinar. Diante de sua sabedoria preferiam misturar-se ao povo sem chamar atenção de ninguém.
Entre eles, esportistas famosos, químicos, matemáticos, físicos, astronautas, empreendedores e artistas.

Os do mal vieram para nos aniquilar, sem raios laser para não deixar pistas. Os relacionei na ocasião - alguns políticos, (pela inocência da idade, só os de direita), generais, religiosos afoitos e também certos artistas. 
Na minha relação constava o nome de uma professora de biologia do colegial, prefiro não citar seu nome, pois acho que ela ainda vive por aqui, como mutante, hoje pode estar na pele de alguma pessoa do convívio. Bom não arriscar.


Ontem recebi uma mensagem no FaceBook onde um amigo postou três coordenadas, as  quais, dizia ele, tratarem-se de pontos de pousos para ET`s. Não sei como e de onde ele tirou essa informação.
Como sempre, curioso, prendi a atenção e pelo Google Earth fui  ao encalço. As localizei, os três pontos - ficam no território americano, dois no deserto de Nevada e um ao norte do estado do Arizona.
A visita me provocou a antiga fascinação e imediatamente me remeteu a um túnel do tempo. Além do fato em si, a memória  levou-me aos esquecidos. Pessoas, objetos, situações. Todos guardados no canto do cérebro. Até minha arma laser eu resgatei.

Deixo aqui as coordenadas para quem se sentir curioso com o tema. Vão encontrar marcas e são bem interessantes - para quem curte o assunto pelo menos. 
Claro, vale uma fezinha na sequência - o prêmio do final de ano parece que é de R$ 170 milhões. Vai que… 

37 33 47.27N 116 51 06.58W
33 44 46.74N 112 38 02.99W
37 39 58.44N 116 01 33.02W

Blog é legal por isso, a gente escreve o que quer e quando tem tempo. Pra quem quiser ler e compreender da sua maneira. Sem policiamentos. Possivelmente algum ET do bem está envolvido na criação dessa plataforma de comunicação.

Abraços e bom 2012 à todos e que ele anteceda 2013 numa boa.



Postar um comentário