28/02/2015

Spock jamais experimentaria um cigarro

Espaço: a fronteira final. Estas são as viagens da nave estelar Enterprise. Em sua missão de cinco anos... para explorar novos mundos... para pesquisar novas vidas... novas civilizações... audaciosamente indo onde nenhum homem jamais esteve.
O ator Leonard Nimoy estava doente havia algum tempo. Parece que ele foi fumante a vida toda, assim como eu fui.  
O Spock jamais experimentaria um cigarro. 
Nunca imaginei como reagiria com a notícia da morte do ator. Foi mal, me pegou de supresa, como se eu tivesse sabido da morte de uma pessoa muito próxima, um amigo. 
Nerdisse? Hoje sim. Se foi o ator, mas o personagem ficou, ponderei. 
Ainda criança, devia ter uns 11 ou 12 anos conheci a série Jornada nas Estrelas. Aquela engenhosidade toda travava minha cabeça. Eu pirava.
Acho que vi todos os episódios da série, nem sei quantos foram ou quantas vezes assisti a cada um deles. 
Depois chegaram as versões para as telas grandes, vi todas, até a mais recente produzida em 2013. 
Nem sei quantas vezes ouvi o: VIDA LONGA E PRÓSPERA. 
A primeira vez foi em 1966 ou 67, eu acho. No canal 4 - TV Tupi, acho, e com certeza em preto e branco. 
De cara vibrei com o futurismo do enredo, o teletransporte era incrivelmente maluco. Capitão Kirk, McCoy, Senhor Sulu, Chekov, tenente Uhura Federação, todos brilhavam nos meus sonhos. 
Mas o cara mesmo era o Spock - um híbrido vulcano e terráqueo. Que raio de orelhas eram aquelas? Por que ele nunca sorria? O que era lógica? E o xadrez triplo que ele vencia do computador? 
Mãe, o que é computador mesmo? 
Jornada nas Estrelas abriu minha cabeça. 
Deixo aqui minhas considerações sobre a morte do ator Leonard Nimoy, pelo caráter e a força que ele impôs ao personagem, Senhor Spock, criado por Gene Roddenberry. 
Tenho certeza que o escritor, por mais criativo que tivesse sido, jamais teria imaginado a longevidade de sua criação e nem tão pouco considerou o carinho que um dos personagens conquistaria ao longo dos anos pelo grande público. 
O ator se foi, mas de presente ele nos deixou o Spock, que é eterno. Pelo menos enquanto eu existir. 
Vida longa e próspera, Sr Spock.


Postar um comentário