08/03/2015

Muito além da Dilma e do Lula

Distante dos manteúdos encontra-se a natureza brasileira. 
Encontrei o artigo no site www.naoentendodireito.com - publicado em maio de 2014. Achei demais curioso.  
Duvidei da veracidade, pois ultrapassava de longe qualquer coisa absurda que já tinha ouvido falar. Ainda não garanto que seja real, é difícil de acreditar, mas no mínimo é muito engraçado e a gente sabe que por aqui, como dizem, tudo pode acontecer.  
Vai bem ao estilo do nosso modo de vida - um finge que ensina e o outro finge que aprende, e assim seguimos entre um carnaval e outro numa grande fantasia.  
Dona Dilma, pentelhos e cérebros lavados garantem que está tudo bem por aqui, os excessos vêm da imprensa golpista e da elite reacionária, os tais coxinhas. Não há e nunca houve desvios na Petrobrás, mensaleiros é coisa mais que inventada, enfim, filhos das putas, somos nós e não eles. 
Vamos lá.
ADVOGADO ESCREVE RECEITA DE PAMONHA NA PETIÇÃO PRA PROVAR QUE JUIZ NÃO LÊ OS AUTOS 
Postado: terça-feira, maio 27, 2014 Em Porra Doutor 
Quando eu via as notícias de que um estudante havia escrito o modo de preparo de um macarrão instantâneo na redação do ENEM eu achei que seria o máximo que alguém poderia fazer, mas aí um cara escreveu o hino do Palmeiras. 
Em um delírio, eu pensei, será que algum advogado, um dia teria coragem de escrever isso em uma petição? 
TERIA! 
Um advogado que obviamente pediu para não ter o seu nome revelado, nos enviou esta petição em que ele prova por A + B que juiz não lê jurisprudência! 
Sim meus amigos, ele escreveu uma receita de pamonha na petição… E PASSOU BATIDO PELO JUIZ! 
Veja: inacreditável 
Como a letra tá pequena, eu vou transcrever o que está escrito: 
“Senhores julgadores, espero que entendam o que faço nestas pequenas linhas, e que não seja punido por tal ato de rebeldia, mas há tempos os advogados vem sendo desrespeitados pelos magistrados, que sequer se dão ao trabalho de analisar os pleitos que apresentamos. Nossas petições nunca são lidas com a atenção necessária. A maior prova disso, será demonstrada agora, pois se somos tradados como pamonhas, nada mais justo do que trazer aos autos a receita desta tão famosa iguaria. Rale as espigas ou corte-as rente ao sabugo e passe no liquidificador, juntamente com a água, acrescente o coco, o açúcar e mexa bem, coloque a massa na palha de milho e amarre bem, em uma panela grande ferva bem a água, e vá colocando as pamonhas uma a uma após a fervura completa da água, Importante a água deve estar realmente fervendo para receber as pamonhas, caso contrário elas vão se desfazer. Cozinhe por mais ou menos 40 minutos, retirando as pamonhas com o auxílio de uma escumadeira.”
A bagaça perdeu o caldo, tá tudo dominado. 


Postar um comentário