29/04/2012

Diário do Dia - Domingo, 29 de abril de 2012

Hoje é o centésimo vigésimo dia do calendário gregoriano de 2012. Cento e dezenove dias ficaram para trás desde a virada do ano e sabe-se lá quantos dias ainda tenho pela frente até a chegada do juízo final do qual ninguém escapa. Espero ter pelo menos mais uns dez mil, quero dizer,  mais uns trinta anos por aqui e que eles sejam bons. Não basta estar vivo, tem que participar e em trinta anos dá pra se fazer muita coisa e planos é que não me faltam, aliás, os tenho aos montes.
Incrível como ando pensando no tempo que ainda tenho e ao mesmo tempo no quanto deixei de fazer em direção a eles. Não importa, é melhor acreditar que andei cumprindo etapas necessárias, intransferíveis e a cada dia me sinto mais próximo dos meus sonhos.
A crença na continuidade, de certa forma, me acalma e a persistência que é da natureza, me conforta. Então, por que não? Roubo  do poeta - você pode dizer que eu seja um sonhador, mas eu digo que não sou o único. Escrever é provocar a si próprio e a quem ler o que você escreveu. É um ato dado a poucos, em geral, aos inconsequentes, aos perplexos e aos curiosos. As ideias ficam amontoadas na cabeça desordenadamente e se pudessem serem vistas pareceriam uma colméia onde as abelhas, com um único propósito na vida, protegem a sua rainha. A ansiedade é a rainha na cabeça de quem tem muitas ideias.



Amanheceu chovendo em Piracaia.  A previsão acertou desta vez, costumam errar quando anunciam tempo firme e ensolarado. Para as chuvas é fácil acertar. As fotos do satélite são como radiografias, as manchas são facilmente identificadas. 



Postar um comentário