16/09/2011

Manhãs das Sextas Feiras

As manhãs das sextas feiras são sempre legais.

Mesmo aquelas em que acordamos ouvindo através da janela as fortes chuvas ou as garoinhas que umedecerão as solas dos sapatos pelo dia todo.

Mesmo quando das broncas matinais do cônjuge (a minha é bastante calma, nunca faz isso, desde que eu não pergunte nada a ela na primeira hora, logo depois do bom dia).

Se pisamos no coco do cachorro no quintal ou se nos damos conta que ele estragou alguma coisa, uma roupa sua que você gosta muito, esquecida no varal.
Se tropeçamos logo ao sair da cama levando o dedo do pé ao encontro súbito à quina do móvel mal percebido e que não deveria estar ali, provocando uma dor que mereceria o maior palavrão do mundo.

Se durante a madrugada enquanto estávamos em sono profundo, faltou energia e o relógio não marca a hora certa e você tem um compromisso o qual não pode se atrasar de jeito nenhum e fica de pronto sem saber se está atrasado ou não - será que ainda  existem relógios analógicos que não dependam de energia?

Nada nos aborrece nessas manhãs.
Nem mesmo a lembrança, a primeira do dia, quando a memória te leva ao dia anterior e você se lembra que seu chefe, mais uma vez não reconheceu o seu empenho e parabenizou o outro "colega" por uma ideia roubada de você - é raro isso acontecer com a gente, muito raro.
Quando um amigo ou amiga não te procura mais achando que você não correspondeu à sua lealdade. Que bateram no seu carro, um amassadinho de nada, um risco na pintura, mas que te deixou P da vida.

Ah!  Manhãs de sextas! São calmas, alegres, agradáveis. Tudo na mais perfeita harmonia.
Que trânsito intenso, nada! Aproveito para ver o que nunca reparei no caminho. Que cidade linda essa a minha! Até que são engraçadas e musicais as buzinas dos carros mais apressados de motoristas que, provavelmente estarão com o final de semana comprometidos.


Quem não adora as manhãs de sextas feiras?

Bom dia!  Bom dia.




Postar um comentário