05/09/2013

Pluralidade dos Sonhos

Levantou-se cedo como de hábito, dez minutos depois estava na cozinha tomando um café. De licença médica por uma semana, Edinelson ainda reclamava das fortes dores pelas costas. Mais quatro dias estaria de volta ao trabalho.

De sua mochila sacou o laptop e logo estava On Line. O WiFi instalado há pouco fazia com que ele se sentisse mais prático.
Sabia bem o que ia buscar - o resultado da Megasena divulgado na noite anterior. Apostou no jogo mínimo numa sequência de números que fazia todo sentido para ele. Sonhava com esses números todas as noites, desde muito jovem.

Conferiu uma vez, duas e três. Na quarta começou a acreditar. Imediatamente abaixo dos números sorteados vinha a informação de que um único cartão havia conferido o prêmio. E o valor deste ultrapassava os dezoito milhões. E a cidade do ganhador era a mesma que a sua.

Após um desmaio rápido, recuperou-se. Levantou-se, conferiu novamente a tela do computador e cartão de aposta e foi até o seu quarto para comunicar a patroa - aos berros, pois os gritos ela teria ouvido minutos antes.

Dois meses e meio depois os três filhos do casal ganharam dos pais, cada um deles, uma linda e confortável casa própria. Filhos, genro e noras estavam felizes. Dois netos também.

Edinelson e Marlene finalmente conheceram um SPA. Perder vinte quilos, ele e trinta e oito, ela eram as metas. Entraram num avião a jato da GOL com as passagens compradas com cartão de crédito e o Rio de Janeiro e Foz do Iguaçu colocaram os pés e os olhos logo de cara. Deslumbraram-se com o hotel quatro estrelas.

Todos os carnês foram quitados, inclusive o financiamento da casa. Mais 15 anos aguardavam o desfecho. A TV HD 3D foi uma das primeiras compras.
Montou seu próprio negócio - uma papelaria, coisa pequena, mas com certeza iria dar bons lucros todo mês.

Tudo isso sem contar a reparação nos dentes. Tanto Edinelson como Marlene implantariam dentes novos. E com pagamento à vista sem mendigar descontos ao doutor.

Da noite para o dia a vida mudou. Se sentiam plenos de felicidade e agradeciam a Deus pelas graças concedidas.


De novo.

Levantou-se cedo como de hábito, dez minutos depois estava na cozinha tomando um café. De licença médica por uma semana, Edinelson ainda reclamava das fortes dores pelas costas. Mais quatro dias estaria de volta ao trabalho. 

De sua mochila sacou o laptop e logo estava On Line. O WiFi instalado há pouco fazia com que ele se sentisse mais prático.

Sabia bem o que ia buscar: o resultado da Megasena divulgado na noite anterior. Apostou no jogo mínimo numa sequência de números que fazia todo sentido para ele. Sonhava com esses números todas as noites, desde muito jovem.

Conferiu uma vez, duas e três. Na quarta desistiu. Mais uma vez passou longe, sequer um número acertou.

Edinelson e Marlene são de classe média ascendida. Ele torneiro mecânico na pequena metalúrgica do cunhado com mais cinco anos para se aposentar. Ela trabalha de segunda a sábado no controle de estoque do Magazine 2 Irmãos. Foi funcionária do mês, este mês.


Postar um comentário