19/01/2013

Brotam os tempos

Dos meus quatro filhos, dois vivem em Brotas, cidade que fica a 250 quilômetros da capital paulista. André, o mais velho de todos, já casado, mudou-se para lá faz sete anos e se deu bem. Casou-se e estabeleceu-se. O vejo muito feliz. 
O mais jovem da turma, o Dudu se foi no início deste ano. Doeu o coração ver o caçula partir para a vida, ele só tem 21 anos, mas quis experimentar novos ares e fez bem em tentar. Achei bacana da parte dele a iniciativa e a coragem. Trabalha com o irmão e fará a faculdade em São Carlos. 
A Denise, a terceira, vive bem com o marido e com as duas filhas em Piracaia, cidade que fica a 90 quilômetros de São Paulo. Piracaia é pequena, mas acolhedora. Parece coração de mãe. 
A Carol, a segunda na ordem de nascimento (saudosos tempos), nasceu para viver em cidade grande. Ela e o marido são adeptos da urbanidade cosmopolita. Gostam da dinâmica e da correria dos grandes centros, quando vão para o interior não ficam muito.
Nossa casa abrigou com conforto os seis membros da família - minha amada esposa, nossos quatro filhos e eu. Mais o cachorro, o passarinho e o peixe. Hoje, somente minha esposa e eu vivemos nela. Estamos estranhando, a nova condição. Nos últimos 35 anos somente por 10 meses estivemos sós em casa. Estamos nos esforçando na adaptação: ela à moda dela e eu à minha moda.
Preciso me acostumar. Precisamos nos acostumar. Passamos por mil e uma pela vida, passaremos por essa também.

Postar um comentário