28/08/2011

Não se mexa, não respire e nem pense. Só assista.


Num dia da semana, não me lembro bem qual, estava eu dando duro no trabalho. Logo após o almoço - devia ser umas duas e meia. Não saberia dizer se estava frio ou calor, hoje em dia o clima anda muito estranho, indefinível muitas vezes.
Sinto sono após o almoço por isso procuro fazer refeições mais leves para a digestão não comprometer minha disposição.

Um pouco irritado com os telefones que não paravam de tocar, o blém blém do computador e celular anunciando emails chegando - recebo cerca de 400 por dia. O pessoal da equipe entrando e saindo da minha sala me passando problemas e pedindo orientações sobre isso e aquilo, enfim, tudo seguia o curso normal de um dia comum em uma vida ordinária. Esta palavra vem de ordem que gera organização e vivemos por ela, assim nos ensinaram e assim ensinamos nossos filhos.
Resolvi parar um pouco e sair da sala, relaxar por alguns minutos. É uma técnica boa andar sozinho pelo pátio externo da empresa e reparar nas coisas que nos cercam. Como só tenho um ano de empresa tem muita coisa a ser vista. Os edifícios antigos que abrigam os estúdios e os diversos departamentos da emissora. Eles guardam muitas histórias, algumas bizarras e divertidas, outras tristes que conhecia antes mesmo de vir pra cá e outras tantas que são contadas diariamente por colegas antigos de casa. Como eles gostam de falar dos bons e velhos tempos. Natural, boa parte de suas vidas e sonhos foram passados aqui. Tem muita gente boa nesta TV.
Vejo que os prédios precisam de tratamento, de uma boa pintura, ao menos uma caiação. São conectados uns aos outros por corredores e escadas que certamente foram adaptadas ao longo dos anos.
Nos jardins as árvores são bonitas, algumas são de tamanhos médios e outras enormes, as flores coloridas crescem anunciando a chegada da nova estação.
Pessoas circulam apressadas com papéis na mão com sorrisos sinceros e recebo cumprimentos, educadamente automáticos.
Bate o desejo de me sentar num daqueles bancos feitos de troncos de árvores, todos impermeabilizados por um verniz sintético e simetricamente distribuídos pelo bosque que fica próximo ao restaurante dos funcionários e apreciar a rotina sob o ponto de vista de quem não tem nada pra fazer. Quem sabe estender uma rede numa sombra entre árvores e puxar aquela palha. Não fiz isso, achei que não ficaria bem e poderia perder a hora, além do que onde iria arrumar uma rede. Me contive a apreciar o bucólico cenário ao som dos ruídos estridentes vindos dos caminhões que transitavam na Marginal do Tietê.
Depois de algum tempo voltei à minha sala a passos mais dirigidos, repassando a minha agenda. O dia tinha que ser concluído ordinariamente.

Ao me sentar diante do computador percebi que entre tantos emails um em especial me chamou a atenção. Um amigo me enviou, provavelmente sentindo a minha vibração.


Assunto: ARQUITETURA + ENGENHARIA + EQUILÍBRIO = SENSACIONAL.

No corpo do e mail o texto imperativo:

                                                             Não se mexa
                                                             Não respire
                                                             Nem pense
                                                             Só assista

E seguia um link.
Eu simplesmente deleto mensagens religiosas, palavras de alto ajuda, os Power Points da vida com imagens singelas ou de humor, mesmo as enviadas por amigos próximos. Não suporto, não tenho a menor paciência com elas. As tenho como terríveis Spans. Mesmo considerando a boa fé do amigo que enviou, as apago até da lixeira, guardando somente a boa fé e agradecendo comigo a sorte da amizade lembrada.
Mas esse eu cliquei. Por nada deixei de lado minha regra. 
O que assisti mudou o meu dia e os dias seguintes. De cara vi que não era somente um show bem iluminado ou uma apresentação circense curiosa. Muito mais que isso. A mensagem continha o que eu precisa realmente naquele momento - paz, concentração e resgate da minha alegria. O público assistia perplexo a serenidade do artista que apresentava muito mais que um espetáculo de malabáris.
É o nosso olhar diante das situações em que nos encontramos a cada instante da vida quem determina como vivemos, não importando onde, como e com quem e se estamos com alguém. O olhar - esse é o segredo pra se viver bem.
Enquanto assistia lembrei do filme A Vida é Bela - de como o personagem coloria as cenas cinzas para seu filho diante da realidade bruta dos tempos de guerra. Lucidez confundindo-se com loucura.
O resto do dia e dos dias seguintes foram mais brandos e objetivos. Concentrado e mais feliz acertei as pendências. O equilíbrio prevaleceu.

Valeu o clique.
Valeu, amigo, boa semana!

http://www.youtube.com/watch_popup?v=jJrzIdDUfT4&vq=medium


Postar um comentário