01/01/2012

Um terno no final de 2011



Ser sorteado é melhor que ganhar. Desculpa de quem nunca ganhou nada.



Por alguns segundos fiquei aflito. Será?
Ontem à noite, durante os preparativos para a comemoração da virada de ano, minha cunhada se aproximou e foi dizendo:

Deu 3, 4, 29, acho que 36, 45 e 55, parece.

Fiquei mais gelado que a pedra de gelo que estava no meu copo. Me lembrei de imediato dos meus primeiros números de uma das apostas que fiz na Mega Sena da Virada. Raramente eu jogo, mas na sexta passada fiquei vinte minutos numa fila com um pressentimento forte que deveria fazer aquilo. De folga em Piracaia fui até a única lotérica da cidade e apostei. Terceira ou quarta vez no ano. Essa pessoalmente fiz.

Discretamente fui até o meu quarto e procurei os papéis com as apostas. 
Procura daqui e dalí até que os encontrei. Foram cinco apostas de R$ 2,00 cada uma. Entre elas estava a que havia me lembrado.
Respirei fundo e procurei me acalmar. A sensação nessas horas é indescritível. O coração pulsa mais forte e um suor gelado percorre pelo corpo, deve ser a tal descarga de adrenalina. Milhões de pensamentos vem à cabeça. Procurei me acalmar e coloquei atenção na conferência.

Uma espécie de cegueira dificultava a leitura dos números. Até o terceiro batia - três, quatro e vinte e nove. O quarto, marquei trinta e três, mas o número que ela havia dito foi o trinta e seis. Será?
Em seguida li um quarenta e dois e deu quarenta e cinco, apressadamente li o último, cinquenta e quatro, deu cinquenta e cinco. Raspando, esses três últimos. Veio a decepção e com a mesma velocidade a adrenalina se foi, não sei prá onde. Só pensei.

Me dei conta que havia feito um terno - acertei três números. Alguma grana vou levar nessa. Alguém me disse depois - Acho que terno dá alguma coisa! Nessas acumuladas de final de ano sempre dão.

Que nada, quando muito, pagam para quem fez uma quadra e nem isso fiz.
Conferindo hoje cedo me certifiquei que realmente não havia passado de um terno, um terninho e dos demais só me aproximei.
Na sequência eles estavam próximos, mas na máquina automática que roda as bolinhas, cada uma delas poderia estar bem longe. Fiz algumas transmissões de sorteios da Mega Sena pelo Brasil, naquele momento não há nenhuma marmelada, pelo menos, naquela momento posso garantir.
Deve ser discurso de quem nunca ganhou esse negócio de marmelada.

O duro mesmo deve ser prá quem fez a quadra ou mesmo a quina. O valor pago é muito baixo pela ansiedade provocada. De muitos milhões, receberão trinta e poucos mil para os da quina ( é uma boa graninha razoável) e quinhentos e trinta e seis reais (menos que um salário mínimo) para quem fez a quadra, não é nada.
Esses caras devem estar bem mais putos que eu.
Nesse caso um terno pode ser melhor que uma quadra e com um sacrificiozinho, até mesmo que a quina de trinta e três mil, pois quem a ganhou vai ficar pensando que suas chances daqui prá frente serão menores ou nenhuma, ganhar uma vez é difícil, duas, então, mais ainda.
Eu pelo menos não ganhei nenhuma.





Postar um comentário