21/10/2013

A confiança.

Ando irritado, impaciente ao extremo. Intolerante, amargo e sem brilho. Preciso me acalmar para buscar mais confiança. Encher a cara não dá, não suporto beber pra ficar alterado. Pura ilusão, já bebi muito e sei bem o que é ser inconveniente. O dia seguinte é um porre. Beber somente até onde o prazer permite e coisa leve, bem suave. Por isso, viva os sucos e as águas minerais com gás, gelo e limão.Não uso drogas. Por elas em si e pelos traficantes. Esses eu queria vê-los mortos, ardendo vivos até o último suspiro.Deixei de acreditar em Deus. Nesse mito que os hipócritas, os crentes verdadeiros e os idiotas vangloriam. Me irritam os crentes nos seus acessos, os hipócritas, falsos como notas de dois e meio e os idiotas que nascem sem ideias. Joguei o crucifixo fora um tempo atrás. Antes tarde do que nunca, pois me sentia um pateta carregando aquela coisa no pescoço por anos e mais anos. 
A confiança está dentro da gente. Se manifesta de tempo em tempo ou não.  
De resto, tudo é balela.  
Postar um comentário