23/01/2016

Feliz Ano Novo!

Imagem - Google
Degustando o sem ter o que fazer, pensei numa retrospectiva. Isso mesmo, um balanço de 2015 destacando os prós e os contras do que vivenciei no ano. Acho que desocupados fazem retrospetivas na tentativa de se reconciliarem com o Salvador, uma coisa meio que: desculpa aí, Meu, foi Mal!
Assim como as promessas de emagrecimento, de parar de fumar e outras coisas inalcançáveis, elas são feitas no finalzinho de dezembro e sempre embaladas pelo clima de ano novo que vai nascer. 
Mas eu faria a minha em janeiro, quase em fevereiro, bem pertinho do carnaval. Afinal a retrospectiva é minha e faria ela quando bem entendesse. Além do que, não existe prazo de validade para retrospectivas, pelo menos por enquanto e nem multas de dez por cento por atraso no vencimento. (espero que nenhum oportunista nos leia) 
Caçamba! Uma coisa idiota cravou minha cabeça como um raio: a separação da loira da banda Calipso do guitarrista conhecido por Chimbinha, acho que esse é o nome. Parece que ele chifrou ela ou o contrário disso, não sei ao certo, mas por meses ao longo de 2015 o assunto foi explorado pelos sites especializados em fofocas ou, pasmém, até pelos não. Se a notícia vende, então, a necessidade faz o hábito.
Quase que o drama do Calipso me provocou um colapso. Nunca na vida eu iria me lembrar do litígio paraense. Por nada no mundo, jurando de pés juntos e sem figas nos dedos, nem de longe sonharia com tal assunto. O pior é que eu me perguntei se eles se reconciliaram, se tudo terminou bem. Tipo, como num final feliz.  
Apaputaquipariu a retrospectiva. Decidi apagar este ano da memória para gritar: Viva Dilma! Viva Temer, Abaixo o Impeachment. Operação Lava-Jato e Petrolão? Tudo balela. E tem mais: vão todos tomar suco de cajú. 
Fico no aguardo de 2019 contando que ele me permita uma retrospectiva sem grandes mazelas.
Imagem - Google

Postar um comentário