12/02/2014

Da série Intolerâncias - Travestis, Neo-Nazistas, Sininho e a Gonorréia.

Alguém apoia a ação desses idiotas chamados Black Blocks?  Os neo-travecos.
O pomposo nome bretão não combina com a indefinição ideológica de um grupo que ao menos poderia alinhar-se às ideias socialistas, capitalistas, comunistas, anarquistas, cubistas, feministas, castristas, ciclistas, mediunísticas, escravistas, partidaristas, sei lá o que, qualquer coisa, desde que empunhe uma bandeira. Um bando de babacas que tem nome que lembra nome de banda punk dos sem-graça anos oitenta. Bundões.
(Me tornei um velho ranheta) 

(?) Alguém contesta a necessidade de uma ação enérgica por parte da sociedade, melhor, uma ação muito enérgica, extremamente enérgica, para acabar, aniquilar, extinguir, dizimar, pulverizar qualquer vestígio de vida dessas deformações moribundas, distúrbios genéticos do DNA humano, aberrações mutantes do equilíbrio, molambentos que perambulam sem direção pelas cidades do Brasil, escondendo os rostos como covardes, sem mãe e sem pai, destruindo tudo que veem pela frente em nome de não se sabe o que?  
(Põe ranheta nisso) 
Sem hipocrisias, sejamos francos: (eu, comigo mesmo...) (?) quem não os queria ver triturados, misturados ao cimento, areia, água e pedras em uma betoneira do tipo da Concremix, dessas que foram super faturadas nas obras dos estádios de futebol da Copa da FIFA? 
Seria Blater um zumbi-nazista também, um black block de terno e gravata?
Dizem que sangue de bandido dá uma liga no concreto, e s p e t a c u l a r. 
Outra. Me chamou a atenção a arrogância da Sininho, nome artístico da "ativista" Elisa Quadros, a jovem de classe média que tem rostinho de quem comeu muito sucrilhos quando criança, a jovem que se preocupou se o garotinho tatuado, o traficante de rojões, iria sofrer torturas na delegacia. Sininho, acredite, ele será bem tratado. Será a bonequinha lá em Bangu 1, 2 ou 3. Fique tranquila, ele (a) vai fazer muito sucesso, será disputado (a) e bem cotado (a) por lá. 
A Sininho poderia ir para a betoneira também, junto com quem defende os black bostas. 
Isso me faz pensar que a espécie humana está diante de um dilema, em uma encruzilhada: ou melhora já, evolui de verdade, agora ou é certo que em pouco tempo será extinta da face da terra, de vez. Com Copa do Mundo, black blocks, sininhos, bonequinhas ou sem nada disso.

Bons tempos quando a gonorréia era o máximo dos temores. 
 Lembranças de um velho ranheta.
Postar um comentário