02/08/2015

Cá com os meus botões

Ilustração: Jacques-Armand Cardon
A ordem é: mantermos a meta aberta pra quando ela for atingida, dobrarmos ela. 
Então, Pra frente Brasil e salve a Seleção.
Delírios: meta-aberta, meta-morfose, meta-de, meta-ástase, meta-físico e meta-lúrgico.
"Não vamos colocar uma meta, nós vamos deixar uma meta aberta: quando a gente atingir a meta, nós dobramos a meta"
E não se meta! 
Me pergunto: quando é que alcançamos alguma coisa sem ter essa coisa como meta?
Me explicariam os que creem? A mente de um descrente é limitada ao que enxerga.
Da mesma forma gostaria de saber se vocês ainda acreditam que por aqui as coisas não andam tão mal como dizem. 
A fé e os terremotos movem montanhas, segundo os crentes e os descrentes.
Bom dia! 
 
Postar um comentário